Contos de Ninar

A menina que queria tudo

Era uma vez uma menina que vivia pedindo tudo o que via para a mãe.
– Mamãe, compra aquela boneca?
– Mamãe, compra uma roupa nova pra mim?
– Mamãe, quero aquele sapato!
– Poxa, mamãe, a mochila da minha amiga é mais bonita do que a minha, compra outra?
E por aí vai…
Só que sua mãezinha trabalhava muito e não conseguia comprar todas as coisas que ela pedia, mas era uma mãe muito carinhosa, estava sempre presente em todos os momentos importantes da sua vida. Nos finais de semana ia ao parquinho com ela, levava à igreja, à praia, ao cinema, ficavam juntinhas em casa conversando, brincando, pintando e fazendo muitas outras coisas juntas.
Mas a menina nunca estava satisfeita, querendo sempre mais, mesmo sabendo que a mãe não tinha como comprar.
Quando essa menina cresceu, ela estudou muito e conseguiu um ótimo emprego.
Casou e teve uma linda filha.
E resolveu comprar tudo o que sempre sonhou ter para sua filhinha.
Ela nem precisava pedir, todo dia chegava em casa com um presente novo para a menina.
Só que para isso precisava abrir mão de momentos preciosos ao lado de sua filha.
Faltava à reunião do colégio, não conhecia seus amiguinhos, nunca podia levá-la às festinhas deles e mal conseguia vê-la acordada, pois saía bem cedo para trabalhar e só voltava tarde da noite.
No dia do aniversário da sua filha comprou o brinquedo mais caro e moderno que encontrou e deixou ao lado de sua cama e saiu cedo para trabalhar.
Ao retornar à noite, encontrou o presente ainda embrulhado e um bilhetinho da filha em cima dele que dizia:
“Mamãe querida, eu agradeço todos os presentes que você me dá, mas este ano eu queria ganhar dois presentes especiais: a sua presença e o seu amor!”
Então ela começou a chorar e percebeu que quando tinha a idade da sua filha era muito mais feliz que ela, pois não tinha todos os presentes que queria ter, mas tinha a melhor e mais carinhosa mãe do mundo.
Correu ao telefone e ligou para o asilo onde tinha deixado sua mãe por não ter tempo de cuidar dela na velhice e pediu perdão por ter sido uma filha ingrata todos esses anos.
Disse também que ia trazê-la para morar em sua casa para que ela a ensinasse a ser uma mãe tão maravilhosa quanto ela.
E foram felizes para sempre…

Sheila Jorge

Comentários