Contos de Ninar

Era feliz e não sabia

pais-separados

Duda chegou da casa do seu pai com uma carinha que sua mãe conhecia bem…

– Oi filha, o que aconteceu? voltou triste de novo?

– Não, mãezinha, tá tudo bem. Fica tranquila. Estou feliz de estar aqui com você…

Era uma situação costumeira, Duda é filha de pais separados desde os seus 2 aninhos.

Então a mamãe preparou um lanchinho especial e começou a conversar com muito amor e carinho com ela:

– Minha vida, não fica assim, eu sei que é difícil ficar dividida entre o papai e a mamãe, mas saiba que você é muito amada por nós dois, você é o presente mais precioso que o Papai do Céu nos deu e é a melhor recordação que podemos ter do nosso casamento, todo o resto fica pequeno perto dessa bênção que recebemos…

– Eu sei mãezinha, eu me sinto amada, mas falta alguma coisa, eu só queria uma família unida no Natal… E como vai ser daqui há algum tempo nos meus 15 anos? E na minha formatura? E no meu casamento? Vocês não pensaram em mim quando se separaram…

A mamãe não imaginava o quanto a separação tinha afetado o coração de Duda e ficou muito triste por não poder mudar essa situação, até porque o papai já tinha constituído uma nova família e dado dois irmãozinhos para ela.

O jeito era tentar colocar muitos sentimentos bons em seu coraçãozinho até sufocar essa tristeza que estava colocando rugas de preocupação em seu rostinho lindo…

Aproveitando este clima natalino, combinou com Duda que elas iam separar roupas, sapatos e brinquedos para doarem a um orfanato que fica perto da sua casa.

Arrumaram 5 bolsas gigantes de coisas que a Duda não usava mais e estavam em perfeito estado (porque não é legal dar coisas rasgadas, sujas ou quebradas, né?).

Quando chegaram no orfanato, a primeira impressão que a Duda teve foi de que era bem diferente de Chiquititas! Tinha muitas crianças! Ela não imaginava tantas… De várias idades, mas todas com um sorriso lindo no rosto e com os olhinhos brilhando com a visita das duas e a distribuição das doações.

Aquelas bonecas e roupas que ela nem gostava mais fizeram o maior sucesso entre as meninas e seus joguinhos eletrônicos antigos eram pedras preciosas para os meninos.

Duda estava tendo uma experiência muito significativa para sua vida, percebeu que seu problema pessoal é triste sim, mas ter pais separados é menos triste do que não ter pais, não é mesmo?

Agradeceu à sua mãe por tudo o que ela e seu pai representam na sua vida, por todo amor que eles lhe dão e por não deixarem faltar nada que ela precisa para ser uma menina feliz e prometeu voltar todos os anos para fazer a alegria da garotada do orfanato!

Sheila Jorge

Comentários